[MÚSICA] Katy Perry se apresenta com a explosiva Prismatic World Tour em SP

Na última sexta-feira (25/09) fomos assistir a cantora Katy Perry que desembarcou no Brasil com sua “Prismatic World Tour” para uma série de três shows no Brasil, incluindo a “fechação” da última noite do Rock In Rio, que acontece nesse domingo, na edição de comemoração aos 30 anos do festival.

Foto: Reinaldo Canato/UOL

A cantora começou o show mostrando para o que veio com o hit “Roar”, do último álbum “Prism”, inspiração para a mega turnê que carrega diversos elementos da cultura egípcia. Dessa forma, não faltaram projeções com pirâmides, constelações e até algumas influências meio “illuminati” para os conspiradores de plantão. Os fãs, insanamente animados, entoaram o primeiro bloco do show inteiro em uníssono. Ainda no começo do espetáculo, rolaram os hits “Part Of Me” e “Wide Awake”, essa última com um novo arranjo mais eletrônico.

Os figurinos são um espetáculo à parte. São diversas trocas de roupas (e perucas) durante todo o show, que continuou com um bloco super-sexy que incluía os megas sucessos “Dark Horse” e “E.T”. “Legendary Lovers”, lado b do novo álbum, agradou os fãs mais engajados com uma performance sexy com dançarinos seminus. “I Kissed a Girl” foi executada em uma versão mais pesada que lembrou um pouco da pegada menos pop característica do primeiro lançamento de peso da cantora, o disco “One Of The Boys”. Já “Hot N Cold” ganhou uma roupagem mais lenta, em um bloco todo inspirado no amor da cantora pelos felinos.

Foto: Reinaldo Canato/UOL

Segue o show para uma sequência low-profile onde Katy, espontânea, procura na plateia por um “autêntico” brasileiro. O fã escolhido, de tão nervoso pela presença do ídolo, não conseguia responder perguntas simples como “de onde você é?” – em inglês. Em nova tentativa, Katy convida uma segunda fã empolgada que consegue fazer a interação fluir, brincando com a tradução de termos como “linda” e “morta”. Ambos ganharam selfies com a cantora em seus próprios celulares.

Como manda o figurino por aqui, amarrada em uma bandeira do Brasil, Katy Perry elogiou o público tupiniquim: “vocês são os melhores! E eu não saio pelo mundo falando ‘vocês são os melhores’ para todo mundo”. Nesse bloco rolaram “By The Grace Of God” e um bonito medley de “The One That Got Away” + “Thinking Of You”, que o público inteiro entoou e embelezou com uma constelação de luzinhas de aparelhos eletrônicos.

A ideia de não se levar a sério é fortalecida na última parte do espetáculo onde ao som de “Teenage Dream” são exibidas imagens engraçadas da cantora no telão, extraídas de momentos de descontração durante as gravações de videoclipes, bastidores de shows, no dia a dia, além de montagens sem noção se auto avacalhando com muito bom humor.

Super dançante, a apresentação segue para o seu fim com “California Gurls” que mesmo com a chuva levou o estádio à loucura. A chuva, aliás, não era um problema para ela, que brincou: “se vocês estão se molhando, também vou!”. Rolou ainda “Walking On Air”, com uma Katy esvoaçante usando tecidos que ganharam movimentos com ventilador à lá Beyoncé, e a deliciosa “This Is How We Do”, que fez o estádio inteiro vibrar e contou com introduções do hit “Last Friday Night (T.G.I.F.)” para o delírio dos presentes.

Coeso, divertido e alegre, o show termina com uma profusão de fogos de artifícios enquanto Katy Perry cantava “Firework”, mais um mega hit do álbum “Teenage Dream”. A “Prismatic World Tour” é um espetáculo que reafirma o posto da cantora como uma das maiores divas do entretenimento da atualidade. Katy é uma superstar cool, seus hits que dominam o globo provam que é possível ser autêntica cantando um pop açucarado mas que, ao mesmo tempo, traz uma mensagem de aceitação e alegria para seus fãs.

Fonte: AQUI!

Comentários

comments

Powered by Facebook Comments